Nigeriano quer criar computador com neurónios

883

20160308155539

O Mundo da inteligência artificial é complexa, na qual hoje em dia essa ciência procura fazer os dispositivos pensarem como seres humanos, a a investigação nesta área tem apresentado melhorias significativas, ao ponto de um Africano estar disposto a criar o primeiro computador com neurónios.

Trata-se do nigeriano Oshiorenoya Agabi. que depois de  trabalhar oito anos em empresa suíça de robótica, efectuou cursos de pós-graduação em física teórica, bioengenharia e pesquisas sobre como neurônios se comunicam entre si e como seria possível fazê-los se comunicarem com chips de silício. Com cerca de quinze anos de experiência na área, Agabi fundou então a a sua empresa de nome Koniku quando sentiu que estava começando a encontrar a resposta.

Segundo o CEO da Koniku Oshiorenoya Agabi, é possível um computador usar neurónios reais e biológicos. O  principal objectivo é conseguir programar neurónios criados em laboratório para realizar tarefas específicas e, com isso, criar processadores “vivos”, capazes de aprender, e mais eficientes que os chips actuais.

O Homem garante ainda que isso será possível, visto que as células de nosso cérebro ao longo do tempo conseguem determinar as conexões mais eficientes entre neurónios para realizar determinadas tarefas. Graças a essa característica, um cérebro humano exige cerca de 10 watts de potência para funcionar. O Tianhe-2, o supercomputador mais potente já construído, por sua vez, exige 24 megawatts – 2,4 milhões de vezes mais.

Esta ideia pode até parecer esquisita até um certo ponto, Mas o nigeriano garante que em dois anos a Koniku fará isso parecer normal.