Passos importantes na monitorização do tráfego de redes corporativa

0
2558

A complexa empresa virtualizada de hoje coloca os gestores de TI em um sério teste administrativo. Enquanto os administradores de rede lutam para saber como monitorar melhor o tráfego da rede e garantir a excelência operacional, eles procuram rotineiramente orientação sobre as melhores práticas e as ferramentas certas para a tarefa.

Nesta era de transformação digital, a rede corporativa sustenta todas as mudanças radicais em andamento. A infraestrutura de rede que facilita as operações críticas se conecta a mais sistemas e dispositivos do que nunca.

Assim como as empresas e governos que dependem dela, a rede corporativa se tornou muito mais dinâmica. E, como as organizações dependem tanto de que a rede seja rápida, segura e confiável, a excelência operacional é a expectativa.

Os serviços de monitoramento de tráfego de rede são ferramentas importantes para capturar dados de tráfego essenciais para análise e optimização. Mas selecionar as ferramentas certas e implantá-las de forma eficaz exige um bom entendimento da infraestrutura de rede da organização, prioridades e desafios.

Listamos algumas etapas que um administrador de rede pode seguir para monitorar o tráfego a fim de oferecer suporte a uma infraestrutura de rede corporativa confiável e de alto desempenho.

Etapa 1: Faça um balanço

Ao gerenciar qualquer ambiente de rede, o administrador precisa de um inventário preciso de todos os dispositivos e aplicativos em execução na rede. Redes grandes e complexas são mais difíceis de monitorar, especialmente por meio de métodos manuais.

Para obter uma imagem clara dos ativos e interdependências, os gestores de TI podem usar uma ferramenta de mapeamento de rede que pode descobrir dispositivos automaticamente e capturar um inventário complecto de ativos.

Além disso, é uma boa ideia verificar periodicamente se há alterações nos ativos.

Etapa 2: definir um padrão

Para entender quando ocorre uma actividade de rede anômala que pode indicar um problema, incluindo uma possível violação de segurança, o grupo de TI primeiro precisa estabelecer uma linha de base que mostre a actividade de tráfego normal.

Os gestores de rede podem usar ferramentas de captura de dados ou detecção de tráfego para colectar informações sobre a actividade da rede ao longo do tempo. A captura de dados deve ser um processo contínuo, pois as mudanças na rede são constantes.

A partir desses dados, a área de TI pode realizar análises de tráfego de rede para solucionar problemas e fazer alterações para melhorar os níveis de serviço.

Etapa 3: verificar e refinar as configurações

O monitoramento de rede é um processo contínuo – não uma actividade isolada. O monitoramento contínuo da rede é uma forma de identificar quando os dispositivos não estão configurados correctamente.

Usado em conjunto com o software de gerenciamento de configuração de rede, monitorar e analisar o desempenho da rede também pode ajudar o administrador de rede a identificar oportunidades para refinar as configurações do dispositivo para fornecer transferências de dados mais rápidas pela rede.

As ferramentas de relatórios gráficos podem tornar mais fácil para os gerentes de rede avaliar e resolver problemas de nível de serviço.

Etapa 4: Aplicar procedimentos de escalonamento

O Administrador precisar de uma política formalizada que possa alertar o membro da equipa de TI apropriado quando ocorrer um problema de rede. Ferramentas automatizadas podem iniciar este processo, escalam o incidente para o especialista apropriado conforme mais informações se tornem disponíveis.

Essas ferramentas também podem alertar profissionais de TI e de linha de negócios quando um problema pode afectar áreas ou operações adjacentes. Manter um modelo de escalonamento actualizado é crucial para evitar perda de tempo e interrupções prolongadas.

Etapa 5: planejar o desastre, ter como objetivo a continuidade

Uma rede com baixo desempenho pode impedir a productividade. Uma interrupção pode inviabilizar completamente as operações, resultando em perdas caras.

O monitoramento de rede eficaz e o gerenciamento de desempenho podem ajudar a TI a detectar problemas antes que se tornem totalmente problemáticos, minimizando seu efeito nos negócios.

Mas, para garantir alta disponibilidade e tempo de inatividade limitado, a TI precisa ter um plano de continuidade de negócios e recuperação de desastres que detalha as medidas de failover apropriadas.

Arquitectar a rede sem um único ponto de falha é fundamental para evitar grandes interrupções prolongadas.

Etapa 6: Plano de mudança

As redes de hoje estão em constante evolução, à medida que as organizações crescem e às vezes se consolidam. A ampla adoção de serviços de computação em nuvem também tem um efeito à medida que mais empresas adotam um modelo de TI híbrido com alguns recursos no local e outros em ambientes de terceiros.

É importante avaliar continuamente como as mudanças nos negócios podem afectar a rede – e então fazer os ajustes necessários.

Etapa 7: À altura da tarefa

E, como a rede, as ferramentas para monitorar e gerenciar estão sempre mudando. Regularmente, os gestores de TI precisam avaliar se as ferramentas de monitoramento de rede e gerenciamento de desempenho no seu arsenal têm os recursos apropriados.

A equipa de TI também precisa garantir que os membros da equipe tenham o treinamento apropriado para obter o máximo benefício dessas ferramentas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui