Um terço das empresas angolanas sofreu ciberataques em 2022

2776

Um terço das organizações angolanas que participaram no primeiro estudo realizado pela KPMG sobre cibersegurança, declarou ter sido alvo de um ciberataque nos últimos 12 meses, revelou a empresa de consultoria.

Os setores financeiros, de energia e recursos naturais, de indústria e as tecnologias de informação e comunicação (TIC) são os mais afetados pelas ameaças cibernéticas, e uma das principais consequências foi o comprometimento do e-mail empresarial, segundo a primeira edição do ‘Africa Cyber Security Outlook‘.

O estudo abrangeu interlocutores de vários setores de atividade, considerando tanto grandes (44%) como pequenas e médias empresas (56%) e revela que, perante as ameaças, as organizações estão a dar cada vez mais importância à aplicação de medidas de proteção.

Cerca de 75% dos inquiridos indicou que tem estratégias de cibersegurança regularmente atualizadas, ou adaptadas às ameaças identificadas, sendo esta a postura correta, como referiu Carlos Borges, responsável da KPMG Angola.

A proatividade na identificação de ameaças e de mecanismos de defesa é fundamental“, referiu Carlos Borges, sublinhando que “a proliferação de serviços digitais, veio ampliar a superfície de ataques cibernéticos e aumentar a urgência de adoção de medidas de proteção” e que é “fundamental que as empresas integrem, por exemplo, o risco cibernético nas suas estratégias de negócio“.

MAIS: Ataques informáticos fazem pressão a várias empresas angolanas

Neste capítulo surge um desafio, já que “cerca de duas em cada três empresas sentem dificuldades no recrutamento e retenção de profissionais qualificados em matéria de cibersegurança“, segundo o estudo.

Apesar deste desafio, as empresas reconhecem a importância desta temática, com 55% dos inquiridos a afirmar que as suas organizações planeiam recrutar em breve, para a área de cibersegurança.

Além disso, têm investido na estratégia de cibersegurança, o que, de acordo com este estudo, poderá significar uma redução de 50% da probabilidade de virem a ser vítimas de um incidente de cibersegurança de grandes proporções.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui