Um terço das transacções no sistema de pagamentos nacional é com um telemóvel

0
844

Um terço das transacções no sistema de pagamentos em todo território nacional, nomeadamente 32,7%,  é feito através de um telemóvel, seja smartphone ou não, revela o jornal Expansão, tendo como base o dados da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS).

Segundo aquele semanário angolano, esse crescimento é devido a procura da sociedade civil de meios mais rápidos, eficientes, seguros e cómodos para pagar bens e serviços, fazendo com que os utilizadores do aplicativo Multicaixa Express estejam a aumentar exponecialmente no país, mesmo com um pequeno conhecimento de literacia tecnológica.

Nos últimos tempos o mercado digital tem sido o principal foco de actuação de muitos sectores de actividade económica do país, fazendo com que os números de transacções dentro do sistema de pagamentos nacional a revelar o crescente interesse das pessoas no uso das novas tecnologias.

De acordo com os dados divulgados da EMIS, no último ano foram efectuadas 338 milhões operações através da plataforma Multicaixa Express, o que corresponde a um crescimento de 1.630%, tendo como base os 19 milhões de operações registadas em 2019, ano que o aplicativo foi lançado.

MAIS: Detido suspeito de burlar milhões de kwanzas com clonagem de cartões multicaixas

O crescimento notório não param por aí, onde o relatório dá ainda conta que o valor transacionado neste aplicativo tem vindo aumentar. Entre transferências e pagamentos, em 2021 os usuários do Multicaixa Express movimentaram 4.954,6 mil milhões Kz (quase 5 biliões Kz), correspodente a um crescimento de 1.828% face aos 257 mil milhões Kz em 2019. Ainda no ano de 2021,  as transações no aplicativo representaram 28% dos 17.687,45 mil milhões Kz (quase 17,7 biliões Kz), total do valor que circulou no sistema de pagamentos, reporta a EMIS.

Ainda nessa senda, e tendo como base os muitos relatos sobre eventuais fraudes e burlas que tem se visto com o Multicaixa Express, nos últimos tempos, o administrador executivo da EMIS, Joaquim Caniço, destacou que MCX Express é um “canal seguro e que cumpre todos os requisitos de segurança”, quer sejam os internacionais como da própria lei dos sistemas de pagamentos de Angola.

Infelizmente temos assistido a algumas burlas com o MCX Express, praticadas através de engenharia social, onde os criminosos tiram partido da distracção de pessoas incautas e se apossam das suas credenciais de acesso ao canal. Temos acompanhado esse fenómeno e temos implementado vários melhoramentos no sentido de mitigar essa situação“, finalizou o administrador.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui