Angola conta com Centro Nacional de Monitorização das Comunicações

0
1345

O Centro Nacional de Monitorização das Comunicações, instituição destinada a regular e monitorar o mercado das comunicações no país, foi inaugurado esta terça feira em Luanda.

A concepção da instituição, que vai empregar 30 profissionais com especialidades especificas na área de gestão, monitorização e controlo da conformidade dos serviços de comunicação em todo o território nacional, custou aos cofres do Estado dez milhões de dólares americanos (4.2 mil milhões de Kwanzas).

O Centro Nacional de Monitorização das Comunicações, tutelado pelo Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), visa gerir e de forma harmoniosa as frequências radioelétricas ao nível da navegação marítima, aeronáutica, rádio, televisão, bem como telefonia móvel e à banda larga móvel para acessar a Internet, a fim de evitar interferências capazes de prejudicar e afectar o normal funcionamento das mais diversas actividades comerciais.

Instalado em um edifício de 3 pisos, cujas obras tiveram início em finais de 2021, a infra-estrutura está enquadrada no programa de normalização, regulação e modernização do sector das comunicações em Angola.

MAIS: Angola presente na Conferência Mundial de Desenvolvimento de Telecomunicações

A propósito da inauguração da instituição, o  ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, disse que uma das missões é evitar as interferências de utilizações indevidas do espectro da comunicação por entidades não autorizadas.

De acordo com Manuel Homem, o centro é um marco para o país, pois garante mais segurança, quer do ponto de vista dos serviços aeronáutica que têm utilização de frequências, como ao nível dos serviços marítimos, das telecomunicações e de todas as entidades que utilizam serviços à nível das comunicações electrónicas.

Manuel Homem precisou que os equipamentos conseguem fazer uma varredura do perímetro num raio de 180 quilómetros, identificando  tudo o que acontece do ponto de vista de operação de telecomunicações.

Conforme o ministro, centros do gênero serão instalados brevemente nas demais províncias do país, tendo destacado que as de Cabinda, Cunene, Huambo, Benguela e Huíla contam já com serviços similares. Participaram do evento, os presidentes dos Conselhos de Administração da ANGOP, TPA, TV Zimbo e demais convidados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui