Angonix regista crescimento de tráfego de internet

1631

O Angonix, o Internet Exchange Point de Angola (Ponto de Troca de Internet), que está entre os cinco maiores de África, registou mais uma vez um proeminente crescimento com o pico de tráfego a chegar aos 40 gbps em dezembro, o que volta a representar uma tendência de crescimento.

Segundo o comunicado oficial, enviado a redação da Menosfios, informa ainda que neste princípio de ano, nas duas primeiras semanas do mês o IXP alcançou também um pico 45 gbps, valor este que representa um crescimento na ordem dos 50% do consumo local de internet.

Como um elemento neutro de internet o Angonix, permite que redes internacionais e nacionais, como Provedores de Serviços de Internet (ISPs) e Redes de Distribuição de Conteúdo (CDNs), se conectem diretamente e com mais facilidade, proporcionando aos operadores uma maior partilha de tráfego entre si.

MAIS: Internet bate recorde em Angola no mês de agosto

A vantagem do Angonix, é que a plataforma tem a capacidade de ligar conteúdos localmente, com benefícios de eficiência e economia de custos para o ecossistema de dados de Angola, pois não só permite uma maior partilha de conteúdos digitais internacionais, promovendo assim o seu mais fácil acesso e crescimento de tráfego local, como também melhora a qualidade da internet desenvolvendo ainda mais a economia digital angolana.

A mesma não é só para operadores e provedores de conteúdo, mas também o é para fintechs como o BNA, BIC, BAI e Millenium Atlântico, que a par da Chevron (Oil & Gas) e os CDN internacionais, Microsoft, Facebook e G Core LABS, que aderiram à plataforma e impulsionando o crescimento do serviço.

De informar ainda que plataforma permite a otimização do tráfego gerado a partir de Angola, reduzindo a necessidade dos dados transitarem por conexões internacionais, resultando desta forma em múltiplos ganhos para os operadores ativos. A título de exemplo, as empresas alojadas no Angonix, economizaram só no último mês, aproximadamente 200 mil dólares de custo de internet por terem os seus dados concentrados no maior IXP de Angola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui