Centro de Ciência de Luanda vem para impulsionar o conhecimento científico nacional

1703

O Centro de Ciência de Luanda (CCL) vai impulsionar o conhecimento científico e tecnológico na sociedade civil angolana, segundo a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança.

A ministra que falava na tomada de posse dos novos Órgãos Singulares de Gestão do CCL, disse que apesar de existirem museus com esse escopo, o centro tecnológico trará uma dinâmica diferente no que concerne a divulgação da ciência nas populações, principalmente da idade e do nível de formação de cada cidadão.

Maria do Rosário Bragança frisou ainda que a ciência deve ser vivida e reconhecida como algo básico no dia a dia, avançando que o objetivo do governo de criar uma rede de centro de ciências, com vista a popularização da ciência.

Por outro lado, o diretor-geral da CCL, Domingos da Silva Neto, informou que o respetivo centro inovador tudo fará para a concretização da educação científica nacional, em particular nas crianças e nos jovens.

MAIS: Centro de Ciência de Luanda vai ser o primeiro Centro de Ciência e Tecnologia de Angola

De informar que o Centro de Ciência de Luanda, cujo estatuto orgânico foi aprovado a 7 de outubro de 2021, tem como plano de fundo prosseguir os objetivos da política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, adotada pelo Governo Angolano, mediante a realização de atividades de divulgação ou popularização do conhecimento científico.

O objetivo do mesmo é elevar a literacia científica e tecnológica da população, em geral, e das crianças e jovens em particular. O CCL vai contar com espaços para a divulgação da cultura, história, fauna angolana, bem como áreas de experimentação química, física, matemática e eletricidade.

Contemplará  também as zonas do planetário, do dinossáurio, o borboletário, laboratórios, biblioteca e uma fábrica de sabão para que os utentes, essencialmente crianças, aprendam, mesmo brincando, o processo de produção deste bem.

Localizado na baixa da capital angolana, na antiga fábrica de sabão, no Largo do Baleizão, a instituição, ainda em construção, pode abrir as portas ao público em julho de 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui