Comitiva angolana lidera o programa espacial da zona da SADC

648

Angola está a liderar, por intermédio do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN), o programa espacial da zona da SADC, nomeadamente aquela que é a Iniciativa do Sistema Partilhado de Satélites, que passa por ter uma estratégia comum para a região e fazer o lançamento e gestão conjunta de satélites.

A partir do gabinete de gestão que está no centro da Funda, o nosso país está na liderança do programa espacial da SADC, ficando atrás apenas da África do Sul, que possui um programa estruturado melhor.

Essa liderança de Angola tem a haver muito com a criação do GGPEN, onde a partir dela criou-se um importante pilar de conhecimento na área espacial, que, apesar da contrariedade do Angosat-1, continuou a desenvolver-se e a crescer.

Segundo os últimos números do GGPEN, Angola conta actualmente com 5 doutorados, 22 mestres e 33 engenheiros licenciados nas mais diversas vertentes da engenharia espacial, e onde estão mais três a doutorar-se em França e um engenheiro que completou a formação na Rússia e que vai regressar ao País.

MAIS: ANPG testa serviço do GGPEN para monitoramento de derrame de petróleo

Essa toda estrutura espacial nacional é reconhecida em termos internacionais, onde em 2020 e 2021 Angola venceu a categoria do Top em África para engenheiros com menos de 30 anos. O reconhecimento de uma classe de jovens formados, na sua maioria, em engenharias no nosso País, mas que depois vão complementar a formação na área espacial para o estrangeiro – Japão, Estados Unidos, França e Rússia são alguns dos países – durante um ano.

A estruturação da formação passa por um período de seis meses na academia e depois 7 meses nas empresas do sector, o que faz com que quando regressam estão para garantir um alto nível profissional no desempenho das suas funções.

Com este período de 4 anos e meio entre o desaparecimento do Angosat-1 e o lançamento do Angosat-2 foi possível consolidar esta equipa, sendo que Angosat-2 vai ser operado exclusivamente por angolanos a partir do centro da Funda. Uma realidade que muitas vezes não é reconhecida internamente, mas que é destacada em termos internacionais, e que possivelmente é o maior ganho de todo o programa espacial do País.

E foi com esta realidade que Angola assumiu a liderança do programa espacial da região, depois de os países terem acertado uma estratégia comum para esta área. O gabinete de gestão está instalado no centro da Funda, que é também a mais moderna infraestrutura da região, é a partir da capital que se desenha e constrói o programa espacial da SADC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui