Especialistas defendem que o risco de segurança cibernética está em níveis críticos

442

De acordo com uma nova pesquisa da SANS voltada para o melhor entendimento dos riscos de segurança cibernética dos sistemas de tecnologia operacional (OT), avança que as pessoas continuam a ser a maior ameaça aos sistemas de controle industrial (ICS) e às redes associadas.

Trezentos e quarenta e oito profissionais de segurança em todo o mundo, forneceram os seus pensamentos na pesquisa de segurança cibernética da SANS 2019, 72% dos entrevistados acreditam que as pessoas são o maior risco para o comprometimento da segurança cibernética, seguido por tecnologia (22%) e processos e procedimentos (14%).

Os entrevistados disseram à SANS que a identificação de ativos conectados e a visibilidade do dispositivo, rede e integridade do sistema de controle continuam a ser um problema: 45,5% consideram um dos principais focos das suas organizações. Isso se alinha às preocupações tradicionais de segurança de TI, em que identificar e rastrear ativos e redes continua a ser um desafio.

O coautor e director do portfólio de negócios da SANS Industrials & Infrastructure, Doug Wylie, disse: “Sabemos, por pesquisas anteriores da SANS, que a adição de coisas e dispositivos móveis ao ICS representa um risco significativo. Vemos nos nossos mais recentes resultados que os profissionais lutam muito para compensar esses desafios crescentes ”.

A SANS é a mais confiável e a maior fonte de treinamento em segurança da informação no mundo.