Finalmente o cabo submarino SACS chegou ao Brasil

3003

Em Outubro de 2017, a Angola Cables colocou Angola no centro das comunicações em Africa com a chegada do cabo submarino em Sangano. Para dar prosseguimento ao processo, o mesmo cabo denominado SACS finalmente agora chegou a ao Brasil.

Segundo informações concedida pela Angola Cables, a instalação do cabo submarino em fibra óptica entre África e América do Sul fica concluído hoje quinta-feira (22/02/2018), para que se estabeleça, no terceiro trimestre deste ano, as comunicações directas entre os dois continentes.

Com a entrada em funcionamento desse sistema em Luanda (Angola) e Fortaleza (Brasil), o tempo de espera das comunicações de cerca de 350 milésimos de segundos será reduzido para pouco mais de 60 milésimos de segundos.  A ligação ao Estado do Ceará, quando estiver operacional, trará melhorias significativas nas comunicações entre Angola, os países africanos e as Américas, assim como a redução da “latência” (tempo de espera das comunicações) cinco vezes.

Segundo António Nunes (CEO da Angola Cables), com a entrada de funcionamento do SACS, os conteúdos produzidos nestas regiões e a conectividade internacional poderão gerar grandes benefícios económicos principalmente para Angola, com grande potencial de atracção de empresas tecnológicas da região que precisem de elevada conectividade.

É importante ainda salientar que, SACS incorpora tecnologia óptica capaz de disponibilizar o mais avançado sistema de telecomunicações submarino. O Cabo Submarino terá uma capacidade inicial de 40 terabits por segundos (tpbs), equivalente a 100 gigabits por segundo (Gbps) x 100 comprimento de onda x 4 pares de fibra. O outro ponto de realce deste serviço de telecomunicações é por ser a primeira ligação directa entre os continentes africano e sul-americano, uma rota mais rápida e de elevada capacidade.