Governo de Angola não paga serviços de satélite desde 2018

1361

 

Angola não paga os serviços de satélite, desde 2018, depois do desaparecimento do An-gosat1, em Dezembro de 2017, tendo o Governo da Rússia assumido na totalidade as compensações em vários domínios das telecomunicações, disponibilizando uma capacidade equivalente a 288 megahertz.

De acordo com o director do Gabinete Geral do Programa Espacial Nacional (GGPEN), Zolana João para garantir os serviços de satélites, o Executivo gastava anualmente entre 20 a 30 milhões de dólares. “Os custos dos serviços que envolvem satélites são da responsabilidade do Governo da Rússia, que tem pago através do acordo as compensações devidas à falha do Angosat1“.

A TPA na maior parte das transmissões em directo de alguns eventos, utiliza os serviços de satélite

Zolana João acrescentou que estas compensações também englobam acordos de formação. Uma das vantagens apontadas com a utilização do satélite é o serviço no ramo da saúde, concretamente, na telemedicina, que facilita os pacientes nas consultas à distância em qualquer parte do país.

No dia 30 do mês passado, foram apresentados os seis técnicos angolanos, que em Setembro vão fazer o curso de engenharia espacial, na cidade francesa de Toulouse, num acordo entre o Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e a empresa Airbus.

Os estudantes frequentarão o curso de mestrado em Gestão e Engenharia de Projectos Aeroespaciais, no Instituto Superior de Aeronáutica do Espaço (ISAE-SUPAERO), líder mundial do ensino superior no sector da engenharia espacial e posteriormente fazer estágios na Airbus, parceira na construção dos satélites Angosat2 e 3.

FONTEJornal de Angola
COMPARTILHAR
Artigo anteriorRevelados os lucros da Unitel em 2018
Próximo artigoLG e Sony com dificuldades para vender smartphones
Daniel Afonso Geto Estudante de Engenharia de redes e telecomunicações escreve sobre tecnologia precisamente por ser a sua área de formação, ser algo que ama fazer e para si é um previlegio fazer parte do maior site angolano de notícias ligadas à TIC.Partindo do princípio, parar é morrer, é também detentor das certificações: Administração de Redes, CCNA Routing, CCNA Switching e CCNA Security.