Malanje. Lançado projecto de formação técnica tecnológica para a juventude

1315

A Rede de Mediatecas de Angola (REMA) e o Instituto Médio de Telecomunicações de Luanda (ITEL) lançaram recentemente um projecto denominado “Plano de Formação da Juventude e Maratona de Programação edição 2022” na província de Malanje, e que visa despertar a essa franja social a seguir uma carreira técnico-profissional nos ramos da electrónica e tecnologias de informação.

O acordo entre essas duas instituições vai permitir que dar formação técnico-profissional aos jovens angolanos nos vários sectores, com destaque para as áreas das tecnologias, de modo a promoção do auto-emprego.

O referido programa prevê formar mais de 700 jovens angolanos, e vai decorrer de Julho de 2022 a Março de 2023, com um total de 72 turmas.

Segundo Domingos Eduardo, vice-governador para o sector Económico, Político e Social de Malanje, discursando na abertura do evento, incentivou os jovens a continuarem a abraçar o mundo das tecnologias de informação e comunicação, destacando ainda que esse plano de formação da juventude vai ajudar a mitigar a pobreza e a diversificar a paz económica no seio dos jovens, razão pela qual, os participantes devem aproveitar ao máximo está grande iniciativa do Executivo angolano.

MAIS: Malanje. Cidadãos pedem internet livre nos bairros periféricos da cidade

Quem também esteve no lançamento foi Juliana Panzu, directora-geral adjunta para a área técnica da Rede de Mediatecas de Angola (REMA), onde informou que o maior objectivo da instituição é combater a infoexclusão e promover a exclusão social e digital, entregando deste modo o espírito empreendedor no seio da juventude.

Por outro lado, director-geral do Instituto Médio de Telecomunicações de Luanda (ITEL), Cláudio Gonçalves, sublinhou que que o Executivo angolano através do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social tem investido nos últimos anos na implementação de projectos tecnológicos que concorram para o desenvolvimento sustentável do país.

O académico frisou também que a maratona de programação edição 2022 vai passar a ser de âmbito nacional, a partir deste ano, que se consubstanciará em competições inter-escolares, que visam promover o interesse, incentivar a criatividade, o trabalho em equipa e a habilidade de resolução de problemas em ambiente de pressão.

De informar que o acto de lançamento do programa, foram apresentados os desafios da formação tecnológica como um factor de desenvolvimento local, segurança electrónica, instalação de câmera de vídeo vigilância, reparação e montagem de computadores e multimédia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui