Moçambique: Lançado projecto de ensino híbrido

0
349

Foi lançado recentemente um projecto denominado “ensino híbrido” na cidade da Beira, que tem como objectivo promover uma modalidade mista de ensino presencial e on-line, iniciativa que segundo os prelectores “veio para ficar” considerado a sua importância.

Para o Chefe do Departamento do Ensino Superior e Técnico Profissional de Sofala, Nilton da Fonseca, as instituições de ensino técnico em Moçambique devem criar ferramentas adequadas para poderem leccionar nos dois formatos, isto tudo sem dificuldade.

É uma mais-valia porque permite que o estudante adquira conhecimentos mesmo que não esteja a 100 por ecento na sala de aula, mas desde que tenha os instrumentos necessários“, disse Nilton da Fonseca.

Segundo o que foi informado, esse programa vai abranger estudantes do ensino básico, médio e técnico-profissional em todo território moçambicano.

Por outro lado, para o Presidente da Associação Moçambicana de Educação Profissional Privada (AMEPP), Adelino Mathe, diz que com esse programa vai ser possível os alunos apreenderem os conteúdos em qualquer lugar que estejam.

A expectativa é abranger todo o país(Moçambique) com formadores qualificados nos ensinos básico, médio e técnico-profissional“, explicou Adelino Mathe.

MAIS: Moçambique: Educação desafiada a introduzir literacia financeira no plano curricular

Ainda no evento de lançamento, Mathe frisou que os técnicos do programa devem produzir conteúdos e inseri-los na plataforma através da qual o aluno possa acompanhar as aulas, e onde acrescentou que nessa primeira fase o sector pretende preparar um certo número de formadores, que depois vão dar continuidade ao processo quer na produção de conteúdos, bem como no funcionamento da plataforma e que contribua para uma educação de qualidade em Moçambique.

Hans Schoder, em representação da Cooperação Alemã e financiadora do projecto, disse que a sua instituição desembolsou mais de 10 milhões de meticais para garantir que esse projecto seja uma realidade em Moçambique.

Sentimo-nos felizes em financiar o projecto porque vamos contribuir para que os alunos adquiram mais conhecimentos“, disse Schoder, acrescentando ainda que essa iniciativa surge à margem de um acordo de cooperação entre Alemanha e Moçambique.

De informar que devido a pandemia da Covid-19, o sector da educação de Moçambique teve que se reinventar e os alunos chegaram a estudar pelas redes sociais, como o WhatsApp, mas o que não era seguro, diferente agora com essa plataforma criada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here