Modo escuro nas aplicações é mesmo benéfico para a visão ou apenas uma opção de estética?

2372

 

Activar o modo escuro (ou noturno)  nos aplicativos é, nos últimos tempos, uma alternativa bastante usada por qualquer pessoa que tenha um smartphone pelos utilizadores, onde a interface substitui os fundos originalmente brancos para preto ou cinzento. Mas agora surge a pergunta: Esta opção tem benefícios para a visão do utilizador?

Actualmente boa parte dos aplicativos já vem com a opção de colocar o modo escuro e a as últimas análises mostram que a maioria dos utilizadores prefere mais esse modo escuro, do que o anterior fundo branco.  A Microsoft, só para servir de exemplo, já permite que todas as aplicações do Office, até mesmo o processador de texto “Word”, tenha essa alternativa.

MAIS: Modo Nocturno do Messenger chega agora a todos os utilizadores

Mas na hora de avaliar realmente os benefícios desse modo noturno, surgem algumas  perguntas: este modo tem algum efeito na visão do utilizador, ajuda a consumir menos energia da bateria, ou é, apenas, uma escolha de estética?

De acordo com o oftalmologista espanhol Rubén García, falando para à “Maldita.es” diz que “o contraste e as cores utilizadas no modo noturno reduzem o encandeamento e ajudam os nossos olhos a adaptarem-se melhor e mais facilmente à luz envolvente, o que faz com que nos esforcemos menos e possamos ler mais confortavelmente”.

O especialista ainda recomenda que utilizar o modo noturno nos aplicativos quando se utiliza o telemóvel à noite ou em ambientes com pouca luz, isto porque qualquer luz que nos atinja à noite faz com que “o cérebro deixe de produzir melatonina, a hormona do sono”, o que provoca uma maior excitação e menos sonolência.

“O CONTRASTE E AS CORES UTILIZADAS NO MODO NOTURNO REDUZEM O ENCANDEAMENTO E AJUDAM OS NOSSOS OLHOS A ADAPTAREM-SE MELHOR E MAIS FACILMENTE À LUZ ENVOLVENTE, O QUE FAZ COM QUE NOS ESFORCEMOS MENOS E POSSAMOS LER MAIS CONFORTAVELMENTE”.

As cores quentes do modo noturno não confundem o organismo em termos de tempo cronológico e tornam mais fácil adormecer do que se estivéssemos a olhar para um dispositivo com o ecrã no modo normal”, acrescenta o médico.

De informar ainda que relatório da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) ressalta a grande redução das emissões de luz azul que acompanha o modo escuro. “Apesar de não causar danos à visão, a diminuição da exposição à luz azul e a limitação do tempo e do brilho do ecrã pode ajudar as pessoas a dormirem melhor e a sentirem-se mais confortáveis”.

E falando sobre o assunto da redução do consumo da bateria, um estudo da “AppleInsider” conclui que a utilização deste método reduz significativamente o consumo de energia nos visores OLED. Inclusive, é possível poupar “até 60% do nível de bateria” em três horas de utilização intensiva num iPhone X.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui