Ordem dos Engenheiros de Angola realiza congresso com foco na 4ª revolução industrial

565

O ano de 2019, representa um marco importante na vida da Ordem dos Engenheiros de Angola (OEA) – São 30 anos ao serviço da engenharia Angolana. Segundo os responsáveis da OEA, é encerrado um ciclo de construção e consolidação desta nossa Organização. Um ciclo que teve o mérito de congregar os esforços de diferentes gerações e teve como base um propósito nobre e comum a todos quantos se reveem na profissão de engenheiro.

Num momento em que Angola passa por um conjunto de transformações, na busca da tão ansiada diversificação da economia, os engenheiros angolanos têm a obrigação de contribuir com propostas concretas, num exercício de cidadania plena, colocando o seu conhecimento ao serviço da sociedade angolana.

Estes são os pressupostos que levam a OEA, a organizar o IIIº Congresso Internacional da Ordem dos Engenheiros com o Tema “ ENGENHARIA, DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA E A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL” e o IVº Congresso de Segurança, Saúde Ocupacional e Ambiente, com o Tema “SEGURANÇA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E A INDÚSTRIA 4.0”, que ocorrerão nos dias 15, 16, 17 e 18 de Outubro de 2019, no Hotel SANA, em Luanda.

Ao longo dos 30 anos de actividade, a OEA foi solidificando as suas convicções, nas suas Jornadas Técnico-Científicas e Congressos Internacionais, desde pelo menos 2004, na certeza de que as contribuições geradas a partir deste evento, se transformem em alguns dos instrumentos para a concretização desse objectivo maior que é o de diversificar a economia, com empresas comprometidas com a segurança e o ambiente.

À urgência da diversificação da economia, juntam-se hoje outras.

O mundo está em plena 4ª Revolução Industrial, onde a fusão de tecnologias dos mundos, físico, digital e biológico, vem transformando o modo de viver e de trabalhar nos quatro cantos do mundo. Tudo isto acontece numa amplitude e velocidade exponenciais.

Ao buscarmos diversificar a nossa economia, não podemos deixar de levar em conta estes novos cenários. Mas como fazê-lo? Como aproveitar os enormes benefícios e oportunidades desta nova era e, ao mesmo tempo, identificar e neutralizar as ameaças que irão naturalmente surgir?

Os engenheiros angolanos, representados pela OEA, conscientes da sua responsabilidade social e da importância da engenharia para o desenvolvimento, chamam a si o dever de colaborar, juntando inteligências angolanas, juntamente com especialistas dos PALOPs e da CPLP, para reflectirem e apresentarem propostas e soluções.

 A OEA pretende extrair dos especialistas estrangeiros e angolanos que participarão de painéis e mesas redondas, nestes dois eventos, as melhores ideias e os caminhos mais efectivos para que Angola diversifique solidamente a sua economia, no contexto das exponenciais mudanças que o mundo vive.

Site da ordem:  https://www.ordemengenheiros.ao/

Site do Congresso: http://www.oea-congressos.com/congressos_Luanda/index_congressooea.html