Quais as diferenças entre o VPN e o Proxy?

2533

Existem conceitos e matérias das novas tecnologias que não são tão conhecidas pelos utilizadores como outras muito mais comuns. É por isto que precisamos de alguém que nos mostre o caminho explicando o que é, o que são e para que é que servem aquelas invenções modernas das que quase nunca ouvimos falar, a menos que sejam pessoas que trabalham habitualmente com tecnologias.

VPN

É o caso, não só, dos VPN, como também dos proxy. A maioria dos utilizadores da internet não sabe o que é um proxy, qual é sua função e quais as vantagens para a sua privacidade quando está a navegar na internet. Um proxy protege a nossa IP. Serve para evitar que quem seja que está ao outro lado saiba quem é que está a visitar o site. É um escudo protetor que tenta proteger o anonimato do usuário. Mas mesmo assim, um proxy não garante uma utilização 100% segura e anónima dos recursos da internet.

Isso é o que faz o VPN de forma diferente: a capacidade para cifrar toda a informação. É por isto que VPN são as siglas em inglês de Rede Privada Virtual, porque nos permite aceder a qualquer site sem que a nossa identidade e localização sejam descobertas. O proxy só protege parcialmente a nossa IP, fazendo crer que a nossa localização é outra distinta da que realmente é, mas não consegue encriptar os dados que partilhamos cada vez que acedemos a um site.

Eu li algumas opiniões sobre os VPN na WizCase, e pareciam muito boas. Foi por isso que decidi explorar o mundo dos VPN para descobrir mais coisas e poder comparar a experiência de utilizar um VPN com os proxys tradicionais. E agora agradeço a guia da WizCase porque foi muito mais fácil fixar ideias e conceitos novos até o ponto de que agora posso falar com liberdade e sem medo a oferecer informações erradas.

Vantagens de usar VPN vs Proxy

Já dissemos que a proteção VPN é maior do que a do proxy. Atualmente a internet está cheia de perigos reais dos que muitas vezes não somos conscientes. É preciso tomar todas as precauções disponíveis para evitar partilhar mais dados e informações dos imprescindíveis para podermos aceder os sites.

O uso dos VPN garante a máxima proteção, mas tem um custo. Por isso é importante ponderar se as nossas atividades online são críticas e precisam dessa proteção que nos oferece um VPN. Fazendo uma simples analogia, quando temos um VPN estamos a construir um túnel entre nós e o site ao que estamos a aceder. Em vez de viajar pela superfície – pela que circula a maioria dos usuários, à vista de todos – nós viajamos por uma via subterrânea que nos permite estar ocultos aos olhos dos demais.

Com o proxy, unicamente confundimos por um momento aos que nos “vigiam”, fazendo-lhes crer que estamos a viajar do norte ao sul, quando realmente estamos a fazer uma viagem noutra direção. Mas antes ou depois eles acabam por nos encontrar e por nos identificar. Com o VPN, isso não é possível.

Conclusão

A eleição dos níveis de segurança e privacidade é pessoal. Cada pessoa sabe melhor do que ninguém quais as informações que quer proteger e por que. A maioria dos utilizadores domésticos não ouviu falar destas ferramentas nem precisa delas. Mas é sempre é bom saber que, se for preciso, existem para serem utilizadas. Quantas mais opções disponíveis, mais acertada será a decisão.