Startup angolana escolhida para o Prémio África da Royal Academy of Engineering

1369

A startup angolana Arotec(Arobot) foi selecionada para o Prémio África 2023 para Inovação em Engenharia, fundado pela Royal Academy of Engineering, que visa escolher os principais empreendedores africanos e as suas tecnologias pioneiras destinadas à reabilitação ambiental, educação, saúde e segurança humana.

A Arotec, startup que torna dispositivos e softwares inteligentes da próxima geração uma realidade por meio de engenharia criativa e colaborativa, é a única representante nacional na turma de 2023 do conceituada prêmio, que demonstra a importância da engenharia como viabilizadora da melhoria da qualidade de vida e do desenvolvimento económico em África.

As inovações pré-selecionadas para essa edição abordam desafios centrais para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, destacando a educação de qualidade, água limpa e saneamento, cidades e comunidades sustentáveis, boa saúde e bem-estar e energia limpa.

As inovações deste ano incluem ainda um tratamento para converter a drenagem de ácidos das minas em água potável, uma unidade aquapónica portátil que utiliza resíduos de peixe para aumentar a produção de vegetais, uma ferramenta de aprendizagem robótica para crianças, um sistema de monitoria remota de cuidados de saúde e um fogão de cozinha ecológico que absorve carbono preto.

Lançado em 2014, o Prémio África é atribuído anualmente pela Royal Academy of Engineering aos inovadores africanos ambiciosos que criam soluções locais e escaláveis para desafios pan-africanos e internacionais. Os inovadores pré-selecionados para o Prémio África beneficiará de um pacote único de apoio, incluindo incubação de empresas, mentoria, angariação de fundos e comunicações. O pacote inclui também o acesso à rede global da Academia de engenheiros e especialistas em negócios altamente qualificados e experientes no Reino Unido e em África.

Em meados de 2023, serão escolhidos quatro finalistas para apresentarem as suas inovações e planos de negócios ao júri do Prémio África num evento em Acra, no Gana. O vencedor receberá 25 000 mil libras, e o segundo, terceiro e quarto classificados receberão 10 000 libras cada. Um prémio adicional do Melhor Inovador no valor de 5 000 mil libras será atribuído ao inovador mais promissor.

Os inovadores pré-selecionados deste ano juntam-se à rede de 134 ex-participantes do Prémio África da Academia, que inclui inovadores que alcançaram sucesso comercial e impacto social significativo em todo o continente após a sua participação no Prémio, tais como a vencedora de 2022 Norah Magero, e a sua solução de refrigerador portátil movido a energia solar para o transporte de medicamentos.

Confira abaixo o projeto inovador que consiste a Arotec.

This slideshow requires JavaScript.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui