Web Summit Rio arranca com startups cabo-verdianas em destaque

1758

Começou nesta segunda-feira(01) o Web Summit Rio, com a expectativa de injeção na economia local de 250 milhões de euros nos próximos seis anos.

Mal podemos esperar para receber o mundo da tecnologia no Rio. Estamos impressionados com a procura e entusiasmo em todo o mundo para o nosso primeiro evento na América do Sul”, disse o fundador e CEO (presidente executivo) da Web Summit, Paddy Cosgrave, em comunicado.

Inicialmente esperávamos 5.000 participantes no nosso primeiro ano. 20.000 é algo que nunca sonhamos acontecer. O nosso objetivo no próximo ano é atingir confortavelmente a marca de 30.000, tornando o Web Summit Rio o mais importante e definitivo encontro de tecnologia da América do Sul“, acrescentou.

De 1 a 4 de maio a 1.ª edição do Web Summit Rio vai juntar mais de 900 ‘startups’, 500 investidores e mais de 300 oradores. No total, vão participar mais 20.000 fundadores, investidores, meios de comunicação, entre outros, de mais de 100 países que esgotaram os bilhetes há mais de um mês.

MAIS: Web Summit desembarca no Médio Oriente e anuncia evento no Qatar em 2024

Cabo Verde é um dos países africanos da lusofonia que está representado no evento com duas ‘startups’, numa delegação chefiada pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que também, pela primeira vez, será orador na conferência, onde vai apresentar o tema “Transformação digital de uma Nação”.

“Estamos muito confiantes que o legado do evento, somado a ações promovidas pela prefeitura, será o reconhecimento do Rio como um grande centro de discussões e de evolução de novas soluções para os eventos climáticos, de segurança pública, de desafios de desigualdades, de mercado de criptomoedas“, afirmou secretário municipal de Desenvolvimento Económico, Inovação e Simplificação do Rio de Janeiro, Chicão Bulhões, durante um evento de apresentação da 1.ª edição da Web Summit Rio na ‘cidade maravilhosa’.

De acordo com o relatório Potenciais Impactos Económicos do Web Summit Rio, as seis edições que estão previstas decorrerem no Rio de Janeiro, até 2028, têm potencial de atrair mais de 800 mil pessoas, e deverão injetar na economia carioca cerca de 1,2 mil milhões de reais (cerca de 250 milhões de euros).

O evento tecnológico, que nasceu em 2010 na Irlanda, passou a realizar-se na zona do Parque das Nações, em Lisboa, em 2016 e vai manter-se na capital portuguesa até 2028. A empresa anunciou recentemente a sua expansão para o Médio Oriente, com a Web Summit Qatar prevista para o início de 2024.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui