Apple processa grupo israelita NSO devido ao escândalo do Pegasus

0
602
SHANGHAI, CHINA – APRIL 12, 2021 – Photo taken on April 12, 2021 shows Apple’s flagship store on Nanjing East Road in Shanghai, China. (Photo credit should read Costfoto/Barcroft Media via Getty Images)

A Apple anunciou ontem(24) que apresentou uma queixa contra a NSO Group, a empresa israelita que fabrica o programa informático de espionagem Pegasus, onde o objectivo da mesma é que o tribunal impeça definitivamente a NSO de instalar os seus programas nos aparelhos e serviços que disponibiliza.

Em Maio deste ano, a NSO foi exposta durante uma investigação jornalistica, realizada por um consórcio de 17 meios de comunicação de vários países, e que revelou o seu aplicativo Pegasus permitia a espionagem de jornalistas, políticos, militantes e empresários de diferentes países, incluindo o presidente francês, Emmanuel Macron.

MAIS: Tem iPhone ou iPad? Apple recomenda que faça atualização de segurança urgentemente

No mercado de eletrónica para o grande público, os aparelhos da Apple são os mais seguros, mas as empresas que desenvolvem programas informáticos para a espionagem por conta de Estados tornaram-se mais perigosos“, diz o vice-presidente da Apple, Craig Federighi, citado em comunicado.

Mesmo que estas ameaças à segurança informática afetem apenas um pequeno número dos nossos clientes, levamos a sério todos os ataques contra os nossos utilizadores“, acrescentou.

De informar que em setembro último, a empresa do Iphone teve de reparar, com caráter de urgência, uma falha informática que o Pegasus foi capaz de explorar nos smartphones da empresa, prejudicando um grande número de utilizadores.

Segundo os investigadores do Citizen Lab, que repararam o problema nos Iphones, informaram que o programa informático espião aproveitava-se daquela falha desde, pelo menos, fevereiro de 2021. Os investigadores foram ainda mais a fundo, descobrindo que um militante saudita tinha sido infetado através do iMessage, o serviço de mensagens da Apple.

Tendo como base esses todos incidentes vindo da NSO Group, no mês de Novembro Washington acrescentou a empresa à sua ‘lista negra’ de empresas.

Os EUA estão determinados a utilizar de maneira incisiva o controlo das exportações para responsabilizar as empresas que desenvolvem, comercializam ou utilizam tecnologias para fins malfazejos, que ameaçam a segurança informática dos membros da sociedade civil ou do governo, dos dissidentes e de organizações baseadas no estrangeiro“, afirmou a secretária do Comércio, Gina Raimondo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here