15.8 C
Angola
Quarta-feira, Fevereiro 8, 2023
Início Site

[Moçambique] Psicólogo aconselha o uso moderado dos smartphones

O uso indiscriminado das tecnologias pode causar efeitos negativos, sobretudo para os jovens e crianças, segundo alerta o psicólogo, Mário Matsinhe.

A utilização excessiva do smartphone traz como consequência a redução das relações interpessoais, substituindo-os por “amigos virtuais”, explicou.

De acordo com o psicólogo, a falta de moderação também causa problemas de sono, devido à luz do celular, o que consequentemente pode criar stress, falta de concentração, irritabilidade, dores de cabeça, entre outros.

MAIS: [Moçambique] M-Pesa lança novos serviços para impulsionar o seu uso

Em termos ergonómicos, a utilização indiscriminada do celular pode ser responsável pela alteração da postura corporal trazendo dores de coluna, pescoço, ombros, devido à posição em que se fica ao usar o telefone, disse.

Matsinhe defende a necessidade de moderação aconselhando que a forma mais eficaz para equilibrar o uso é a determinação de limites no tempo em que a pessoa passa, por exemplo, nas redes sociais, evitar usar o aparelho na hora das refeições, reduzir a utilização durante à noite, entre outros.

Priorizar as conversas com as pessoas presenciais, gerir melhor aplicativos para uso em determinadas horas, desativar notificações de certos aplicativos pode ajudar aos usuários a não terem tendência de mexer”, explicou.

Crescem as oportunidades dos programadores africanos, revela estudo

Continuam crescer as oportunidades para os programadores africanos, sejam em África ou ao redor do mundo. Atualmente, as startups africanas são responsáveis pela contratação de mais da metade dos promotores locais, com empresas estrangeiras fora do continente a contratar 38% dos restantes talentos.

Embora África tenha um ecossistema nascente de developers, estas últimas estatísticas sugerem uma subida para os principais talentos do continente – aqueles com fortes capacidades de programação no desenvolvimento de aplicações web e móveis.

E esta competição parece estar a ter também, um efeito positivo sobre os salários e outras formas de compensação.

Mais programadores africanos estão a obter empregos a tempo inteiro devido tanto ao aumento da procura de startups locais como à procura global de talentos técnico remoto”, informa o relatório Africa Developer Ecosystem 2021.

MAIS: África assiste um crescimento rápido de developers nos últimos tempos

Apesar do aumento da remuneração média dos profissionais em 11% no ano de 2022, os developers juniores viram uma diminuição de até 9% na remuneração como resultado do excesso de oferta dos promotores juniores e da perceção de níveis de competência inferiores.

Já em termos de género, como esperado, mais desafios do que os homens, dadas as suas posições mais juniores e a falta de apoio aos cuidados infantis durante a pandemia de covid-19.

As mulheres têm 12% menos probabilidades de ter escrito a sua primeira linha de código antes de completarem 18 anos do que os desenvolvedores masculinos”, escreve o estudo.

 

EMIS e FAEL firmam acordo para promover rede de pagamentos

A Empresa Interbancária de Serviços (EMIS) e a Federação das Associações Empresariais de Luanda (FAEL) rubricaram recentemente um acordo para dinamizar a funcionalidade junto dos comerciantes que já disponham de Terminais de Pagamento Automático (TPA).

Segundo o que foi revelado pelo presidente do Conselho de Administração da Emis, Gualberto Matos, a parceria entre as duas instituições passa por dinamizar o levantamento de numerários nos TPA e como se sabe, nas periferias das cidades, em particular a cidade de Luanda onde há muita carência de ATM (Multicaixas).

Este serviço de levantamento no TPA nos comerciantes, é um serviço que complementa os serviços dos ATM que têm como objectivo principal satisfazer uma necessidade básica da população”, informou.

MAIS: BNA está a trabalhar para emissão da primeira moeda digital

Já Carlos Kandov, presidente da FAEL, sublinhou que o objetivo deste contrato é a intervenção da instituição junto dos comerciantes para a utilização dos TPA e fazer as transações de maneira formal de acordo com que a lei que o Banco Nacional de Angola implementou.

Como representantes das associações, temos a facilidade junto dos comerciantes de sensibilizá-los a usar os TPA”, disse o responsável.

Itália denuncia ciberataque em larga escala a nível mundial

O serviço de Internet em Itália sofreu ontem(05) interrupções devido a um “ataque massivo”, que também terá afetado outros países europeus e a América do Norte, sendo a sua origem desconhecida, segundo a Agência Nacional de Cibersegurança.

Especialistas italianos explicaram que poderá tratar-se de um ataque de ‘ransomware’ e identificaram os servidores VMware ESXi como o alvo, que já tinham mostrado alguma vulnerabilidade noutros incidentes semelhantes no passado, relata a rede Rai.

MAIS: ‘Hacker’ tentou vender dados de quase todos os cidadãos da Áustria

A Agência Nacional de Cibersegurança já inspecionou “dezenas de sistemas” que podem ter sido comprometidos e pediu atualizações “imediatamente” no caso de alguns servidores que foram “expostos” ao ataque, mas que não foi possível rastrear.

O método ‘ransomware’, que é comummente usado por ‘hackers’ e também é usado neste caso, envolve o bloqueio do sistema sob a premissa de solicitar dinheiro ao usuário em troca de libertá-lo.

Impostos e falta de financiamento entre os principais problemas das startups angolanas

Os impostos, a falta de financiamento e de regulação são os principais problemas que tem surgido e ameaçado ameaças à sobrevivência das startups angolana, segundo o primeiro estudo sobre o “ Ecossistema de Empreendedorismo e Startups de Angola”.

Lançado na última semana, a investigação mostrou ainda que entre os principais desafios das startups no país destacam-se a falta de apoio especializado para dar-lhes competência, de capacidade de desenvolvimento de produtos e de dinheiro ou liquidez.

O relatório informou também que o crescimento da taxa de acesso à internet, entre 2019 a 2022, e, consequentemente, do número de subscritores em cerca de 48 por cento como fatores influenciadores positivos do crescimento do ecossistema digital de startups em Angola.

MAIS: Startups angolanas vão ganhar um lugar na prestigiada competição de Macau

Outro fator positivo, apontado como estrutural e influenciador do mundo digital da Startup no país, nesse período (2019 – 2022), foi o crescimento no acesso a telemóveis, que registou um avanço de 49 por cento.

Esse crescimento, aliado ao crescimento da população economicamente ativa com 15 ou mais anos, segundo a pesquisa, indica que há mais pessoas a ter acesso à internet que, como consequência, proporciona a criação de marcado para os negócios digitais impulsionados pelas Startups

Facebook pode ser julgado no Quénia, decide tribunal

Um tribunal no Quénia decidiu hoje que a administração da rede social Facebook, Meta, pode ir a tribunal neste país do leste africano, podendo os tribunais deliberarem sobre questões laborais da empresa norte-americana.

De acordo com a agência de notícias AP, o caso prende-se com um processo interposto por um antigo moderador do Facebook, Daniel Motaung, que está a processar a empresa por más condições de trabalho.

Motaung disse que enquanto moderador foi exposto a conteúdos cruéis, como violações, torturas e decapitações que colocaram em risco a sua saúde mental, bem como a de alguns colegas.

Na apresentação dos argumentos, citados pela AP, o antigo funcionário do gigante tecnológico afirmou que a empresa dona do Facebook, a Meta, não disponibilizou apoio clínico aos trabalhadores, obrigando-os a trabalhar durante longas horas seguidas, e ofereceu um salário muito reduzido.

MAIS: Facebook chega a 2 mil milhões de usuários diários ativos pela primeira vez

No seguimento da decisão do juiz, segundo a qual a Meta pode ser processada no Quénia, o próximo passo será o tribunal ouvir os argumentos, numa sessão marcada para 8 de março.

Noutro caso, a Meta enfrenta também um processo em tribunal na Etiópia, onde dois nacionais do país argumentam que o discurso de ódio foi tolerado e até promovido, no âmbito do debate sobre a situação em Tigray, no norte do país.

Esse processo, segundo a AP, argumenta que a Meta não contratou moderadores suficientes para controlar adequadamente as mensagens colocadas, que utiliza um algoritmo que dá prioridade ao conteúdo de ódio, e que responde mais lentamente às crises em África do que noutras partes do mundo.

A AP e mais de uma dúzia de outras agências noticiosas noticiaram no ano passado, citando antigos empregados e o denunciador Frances Haugen, que o Facebook falhou na tarefa de moderar o discurso de ódio em vários países em todo o mundo, incluindo na Etiópia.

MultiChoice Talent Factory com representantes angolanas na 5° edição

Nazaré Gaspar e Eltina Gaspar são as duas angolanas presentes na 5° edição do MultiChoice Talent Factory (MTF), o programa de formação em cinema e televisão de classe mundial organizado pela MultiChoice, e onde as aulas iniciou no dia 23 de janeiro.

As representantes angolanas, que já se encontram integradas na Academia da MTF em Lusaka, Zâmbia, fazem parte de um grupo de 60 jovens aspirantes a cineasta, que vão fazer parte do programa de formação que inclui aspetos teóricos e práticos de produção de filmes que vai desde a redação do roteiro até à filmagem, edição e pós-produção de áudio.

As Academias da MTF na Zâmbia, Quénia e Nigéria continuam a trabalhar com os parceiros regionais e internacionais para garantirem que os alunos recebam a melhor formação e experiências práticas necessárias para aprimorar as suas habilidades e contribuir positivamente no sector da indústria de cinema e televisão.

MAIS: MultiChoice “avança” para formações para impulsionar os criadores de conteúdo em África

O programa de formação é orientado por uma vasta equipa multidisciplinar, de especialistas premiados de todo o continente, parte dos quais têm produzido conteúdos para os canais do Grupo M-Net – empresa de produção de conteúdos de entretenimento (programas infantis, desporto, filmes, reality shows) que faz parte da MultiChoice.

Os melhores graduados de cada uma das três academias, terão a incrível oportunidade de desenvolver ainda mais as suas habilidades com vários estágios patrocinados por organizações parceiras da MTF, como a New York Film Academy (NYFA) e a Zee World.

O MultiChoice Talent Factory vem como uma forma da MultiChoice Africa mostrar que está empenhada em construir e sustentar o canal de formação para o emprego na indústria cinematográfica e televisiva de África, e onde essa iniciativa visa uma divisão 60/40 a favor das mulheres desde o seu início.

[Vídeo] Confira as principais notícias tecnológicas que marcaram a última semana #51

Hoje é segunda-feira, 6 de fevereiro, dia para mostrarmos os artigos mais falados na última semana com a secção “As Melhores da Semana”, com Sued de Oliveira.

O facto de uma adolescente angolana ser distinguida no concurso de Astronomia e Física da NASA, que decorreu na NASA, nos Estados Unidos da América, onde ganhou várias medalhas, virou manchete entre os nossos leitores, pelo que está presente no Top 5 da semana.

Uma outra notícia que mereceu grande destaque na semana que terminou foi a notícia que dá conta que as startups angolanas vão ganhar um lugar na prestigiada competição de Macau.

Mas não paramos por aí, onde para veres o Top 5 completo a partir do nosso canal do YouTube é só clicares em aqui. E não claro, não esqueças que na próxima sexta temos mais um As Melhores da Semana.

Youtube. Shorts com sucesso nos utilizadores, mas atrás do Instagram

O TikTok deu início a uma autêntica ‘corrida’ em direção ao formato de vídeos de curta duração, resultando no Reels do Instagram e também nos Shorts do YouTube.

Agora, a Google revelou durante a mais recente apresentação de resultados financeiros da empresa que o Shorts ultrapassou as 50 mil milhões de visualizações diárias – um número superior às 30 mil milhões de visualizações diárias do primeiro trimestre de 2022.

MAIS: YouTube vai permitir fazer dinheiro com Shorts

Ainda assim, nota o site TechCrunch que este número fica aquém dos números conseguidos pelo Reels do Instagram que, em outubro passado, tinha 140 mil milhões de visualizações diárias.

Comunicações móveis em Angola cresceu na ordem dos 49%

Nos últimos anos os números de subscritores para os serviços de comunicações no país está a crescer num ritmo surpreendente, sem esquecer que, recentemente Utilizadores de internet em Angola registaram um “aumento significativo” em 2022.

Em apenas um ano, o mercado das comunicações móveis cresceu 7,3 milhões de subscritores, um crescimento que “bate” com o arranque de operações da Africell em Angola em abril do ano passado. A Unitel continua a dominar, ganhou quase 3 milhões de utilizadores, enquanto a Movicel perde cada vez mais fulgor.

Números desde 2021…

O sector das comunicações móveis cresceu 49% entre o III trimestre de 2021 e o mesmo período de 2022, passando de 14,8 milhões de utilizadores de telemóveis para 22,1 milhões, um crescimento que acelerou com a entrada em cena da Africell, que conta atualmente com 4,6 milhões de clientes. De acordo com cálculos do Expansão com base nos dados mais recentes do Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), relativos ao III trimestre de 2022, houve um crescimento de 7,3 milhões de subscritores quando comparados com os dados do mesmo período de 2021, quando ainda num mercado a dois, a Unitel detinha 90% de quota de mercado, enquanto a Movicel tinha 10%, números que mudaram “radicalmente” com a entrada da Africell no mercado em abril de 2022.

Assim, a Unitel tem 73% do “bolo” das comunicações móveis, equivalente a cerca de 16,2 milhões de subscritores, enquanto a Movicel perdeu o segundo lugar para a Africell que está com 21% dos clientes, ou seja, 4,6 milhões. Já a Movicel que perdeu 1,2 milhões de clientes desde 2019, que se queixam de problemas na rede, tinha no III trimestre de 2022 uma quota de mercado na ordem dos 6%.

O consultor de Tecnologias e Informação (TI) e Ciber Segurança, Ivo Martins, considera que é sempre positivo o aumento da concorrência num sector como o das telecomunicações. “Espero que estes impactos positivos imediatos resultem numa concorrência saudável e duradoura entre os vários operadores”, referiu, ao acrescentar que, assim, oferecem-se mais e melhores serviços e produtos aos clientes, maior cobertura a nível nacional, preços mais competitivos e mais opção de escolha. Impactos que, ao aumentar a conectividade entre as pessoas, os negócios e as instituições conduz à criação de novas oportunidades económicas.

Segundo o mesmo, estima-se que a contribuição da “economia da Internet” para o PIB angolano possa atingir os 3,91% em 2050 (Relatório “Africa iGDP Forecast, Africa”). “Um sector das telecomunicações forte e competitivo é uma das pedras basilares para o bom desenvolvimento de uma economia, pois resulta na criação de novos negócios, novos empregos, mais eficácia e eficiência nas empresas e mais geração de riqueza e prosperidade para os cidadãos”, assinalou.

AUTORES

1875 POSTS4 COMENTÁRIOS
1979 POSTS17 COMENTÁRIOS
2220 POSTS1 COMENTÁRIOS
1904 POSTS120 COMENTÁRIOS