Burocracia impede investimento tecnológico em Angola

2503
RICARDO GERIK, DELEGADO DA ECONOMIA ALEMÃ EM ANGOLA (À DIREITA)

Angola é um pais que já poderia beneficiar de mais investimento privado no sector tecnológico, mas infelizmente isso não tem acontecido, e felizmente tudo pode estar relacionado a Burocracia.

O excesso de burocracia na constituição de empresas dificulta o investimento estrangeiro e transferência de tecnologia para o país, realçou hoje em Luanda, o delegado da economia alemã em Angola, Ricardo Gerik. O responsável prestou esta informação quando falava à comunicação social na inauguração de uma loja de produtos da “linha branca” da Bosch, versada à comercialização de electrodomésticos.

Segundo Ricardo Gerik, os países desenvolvem-se com a massificação de pequenas empresas, mas Angola ainda não ultrapassou o problema da burocracia neste sector, onde se observam dificuldades para vender facilidades, e isto tem impacto na transferência de conhecimento em África no geral. Desta forma, defendeu o combate ao excesso de burocracia para que se estimule o investimento estrangeiro e o processo de transferência de tecnologia.

O mesmo salientou ainda que,  na Alemanha 85 porcento das empresas são pequenas e garantem a sustentabilidade do país. Angola deve enveredar pelo mesmo caminho, desde que se facilite o processo da sua criação para se evitar a morte de 97 empresas das cem criadas por ano.

Concorda com este ponto de vista?