Como identificar notícias falsas na internet

0
530

Graças à Internet, temos acesso a uma quantidade imensurável de informações. Por isso, muitas vezes é difícil colocar ordem e detectar o que é verdade e o que não é. Muitas pessoas acreditam em notícias falsas, independentemente da idade ou status social.

Todos nós já fomos impactados com manchetes como “Cientistas holandeses provam que o coronavírus não existe”, “Pessoas não vacinadas mantidas em campos de concentração na Austrália”, ou “Agulhas infectadas pelo HIV colocadas em poltronas de cinema”. Esses exemplos de mitos estão a se espalhar pela web mundialmente e são hoje conhecidos como “notícias falsas”, do termo em inglês “fake news”.

  • Encontre a fonte de informação

A primeira coisa que você deve fazer é verificar de onde vem a informação. Pode haver várias opções. É importante entender que mesmo a mídia mais respeitável e relevante pode publicar absurdos, na verdade, todas as principais, como BBC, The New York Times e Paris Match, cometeram mais de um erro. Esta etapa de verificação é principalmente necessária para filtrar fontes determinadas como “definitivamente não confiáveis”. Esse tipo de indicação pode ser dado a notícias humorísticas (mesmo os jornalistas mais sérios às vezes acreditam em notícias falsase aquelas mensagens estranhas que recebemos no WhatsApp.

  • Procure links da fonte original

Qualquer informação que pretenda ser confiável deve conter links para as fontes primárias, você não deve confiar em nenhum artigo ou publicação que não contenha referências e links da origem do fato. Portanto, o próximo passo é verificar os links. Tudo depende do contexto. Por exemplo, se um texto descreve um evento no exterior, ele deve conter links para publicações locais no idioma original. Caso contrário, como os autores descobriram sobre este acontecimento? Referências a publicações oficiais ou estudos científicos também são um bom sinal de credibilidade.

MAIS: Investigadores criam plataforma que detecta notícias falsas com 96% de precisão

  • Confira os fatos específicos

Qualquer texto, vídeo ou áudio tem fatos particulares que podem ser verificados por outras fontes. Muitas vezes, é sobre nomes, datas, localizações geográficas, dados científicos, etc. Essas informações podem ser verificadas com uma rápida pesquisa na Internet. As próprias empresas de mecanismos de busca lhe dão mais informações sobre todos os recursos das pesquisas mais complexas.

  • Descubra as intenções da fonte

As três primeiras dicas estão relacionadas à verificação de factos, mas além disso, o tom com o qual as informações são apresentadas é importante. Mesmo que os autores não espalhem mentiras, a ênfase certa e os factos cuidadosamente selecionados em um artigo podem distorcer a imagem e influenciar a sua opinião. Portanto, é útil considerar as intenções ou linha editorial do conteúdo, isso irá ajudá-lo a pesar as informações que você recebe de forma mais objectiva.

  • Preste atenção aos detalhes

Se os factos básicos parecerem coerentes, preste atenção aos detalhes: imagens, citações, termos e uso frequente de superlativos. Vamos abordar cada ponto separadamente:

  • As imagens podem ser modificadas com o uso do Photoshop e outras ferramentas de edição. Para ver se uma imagem foi alterada, tente procurar a imagem original com pesquisa de imagem do Google.
  • Muitas vezes as citações são retiradas do contexto, como aconteceu recentemente com esta citação do Fórum Econômico Mundial: “Você não terá nada e será feliz”. Mesmo uma rápida busca na internet apenas com as primeiras palavras, geralmente, você terá acesso ao panorama completo que possibilitará o entendimento do contexto completo que certo assunto foi debatido.
  • Os autores podem usar muitas palavras “inteligentes” para confundir o leitor, especialmente em textos relacionados à ciência. Não seja preguiçoso: procure os significados dos termos que são fundamentais para entender o material. Você não precisa procurar publicações especializadas para saber que elas estão a mentir para você; um par de cliques e uma visita à Wikipédia são geralmente suficientes.
  • “Esta é a lei mais importante da história” ou “Antes de você, o político mais honesto” são alguns exemplos do uso de superlativos. Em abundância, eles podem ser uma bandeira vermelha. As chances são de que os autores estão a tentar convencê-lo ou vender algo.

Mas nem todas as notícias falsas são mentiras intencionais, muitas vezes surgem devido a erros comuns. Qualquer um pode acreditar em notícias falsas, como regra geral, nem o ensino superior e nem a experiência de vida nos protegem completamente contra isso. Então não deixe de verificar as informações, se não todas, pelo menos aquela que realmente impacta a sua vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui