Data Center da Angola Cables torna-se Ponto de Interconexão na América Latina

727

Recentemente a Angola Cables anunciou a entrada em operação do seu Data Center neutro Angonap Fortaleza Tier III, em Fortaleza, Brasil, um evento assistido pelo Governador do Estado do Ceará, Camilo Santana, o Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação de Angola, José Carvalho da Rocha e altos funcionários da Angola Cables.

Agora a multinacional angolana de telecomunicações, lançou na sexta-feira, 30 de Agosto, o novo ponto de interligação ao PTT (Ponto de Troca de Tráfego), também conhecido como PIX, no seu recém-inaugurado Data Center, localizado no Brasil, em Fortaleza, Estado do Ceará. O PIX faz parte da malha de conectividade do IX.br (Brasil Internet Exchange) de Fortaleza, uma iniciativa do Comité Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), que promove a infraestrutura necessária para a interligação directa, numa região metropolitana, de redes que participam da Internet no Brasil.

Com este desenvolvimento, o tráfego de informações dos clientes da empresa ficará alojado num único ponto da região – ou seja o Data Center AngoNAP – e os clientes serão beneficiados com diversos outros serviços, como alta capacidade de tráfego de rede, IP trânsito de alta qualidade, acesso a redes de Internet ao redor do globo, soluções de Cloud e a todo o ecossistema proporcionado pelo Data Center, assim como o acesso aos cabos submarinos Monet, SACS e WACS, que oferecem a menor latência entre os continentes africano, europeu e  americano.

Segundo disse António Nunes (CEO da Angola Cables), “Considerando que a Angola Cables tem como propósito fomentar um completo HUB de Telecomunicações e um ecossistema de Tecnologias de Informação e Comunicação, dispomos agora de um PIX que vai tornar o Data Center um verdadeiro marketplace para os clientes da região”.

Constata-se que cada vez mais empresas que precisam de trafegar dados, buscam empresas de telecomunicações que, além de fornecerem a infraestrutura avançada e soluções inovadoras de transmissão de dados, possam oferecer um ecossistema completo e integrado, como é o caso do Data Center da Angola Cables de Fortaleza, que está a ajudar a transformar o panorama digital e de conectividade no Hemisfério Sul.