Foi realizada a primeira edição do Nodeschool Luanda

859

Aconteceu no dia 1 de Julho de 2017 a primeira edição do Nodeschool Luanda, é um evento que visa ensinar e partilhar ideia com com programadores de vários níveis sobre o interpretador de código Node.js.

A primeira edição decorreu no KiandaHub, tendo como formador o Angolano  “Randy Quindai” programador a um ano e meio na tecnologia supracitada. O desenvolvedor garantiu que, o Node.js é uma tecnologia profissionalizante para as pessoas que já estão no mercado poderem evoluir na sua carreira profissional, sendo que permite o contacto e partilha de experiências entre os programadores.

Randy Quindai – Formador

Segundo RandyQuindai, o Node.js é a solução para o IOT no futuro, deste modo é importante partilhar a experiência e preparar os angolanos programadores para o futuro.

O mesmo sentiu-se satisfeito com a turma, visto que aprenderam rápido os conceitos, praticaram os exercícios, partilharam os conhecimentos. Portanto para os presentes, quem continuar a trabalhar com o Node.js, poderá tornar-se um profissional com facilidade.

Qual é a diferença do Node.js em relação as outras linguagens?

Para fazer essa diferença, em importante salientar que o node.js é baseado no javascript, e faz as nossas paginas rodarem desde que inventaram a web. Hoje em dia um programador javascript não precisa aprender novas plataformas para aprender a programas com com o node.js, e também pela facilidade de aprendizagem.

O node.js exigem muito conhecimento e grau de maturidade da parte do programador, para poder entender certos conceitos, basta entende-los, a aplicação destes conceitos é muito simples.

Daqui há 2 ou 3 anos poderemos ter muitos angolanos a programar em node.js? 

Segundo Randy Quindai poderemos sim, isso se uma boa parte aderir a iniciativa open source (codigo aberto), que é partilha da informação e fazer crescer a comunidade. Actualmente existem redes sociais especifica para programadores, como o SLAC, GIFTHUB, entre outros, para o código se dissemine. Infelizmente Angola ainda não tem uma comunidade de programadores em node.js, mas a ideia é criar uma para poder existir mais interactividade.

Veja mais imagens da primeira edição do Nodeschool Luanda: