Plataforma Angolana de “crowdfunding” já arrecadou três milhões de kwanzas

547

DeyaEm 2017 a Bantumakers anunciou a primeira plataforma Angolana de financiamento colaborativo denominada “DEYA“, em outras palavras, a referida plataforma permite o financiamento colectivo de projectos em Angola.

Como funciona?

A Fundadora da plataforma ganha em cada campanha de ‘angariação’ uma comissão de 5% do montante solicitado para uma determinada causa social. A BantuMarkers tem uma centena de projectos em análise e encontra-se na fase de ‘caça’ de talentos.

Dois anos depois do seu lançamento, a plataforma arrecadou três milhões de kwanzas, com mais de três campanhas iniciadas em Janeiro de 2019. A plataforma tem três campanhas, em que duas são promovidas por alguns lares de apoio às crianças e associações de ajuda às famílias carenciadas. A outra campanha é sobre a seca no Cunene, da iniciativa da associação dos colaboradores do Mercado de Capitais. Sozinha, essa campanha arrecadou, nos últimos dez meses, cerca de 1,2 milhões de kwanzas, representando cerca de 40% dos três milhões de kwanzas arrecadados no total.

Segundo Vanda de Oliveira (Co-fundadora da ‘Bantu Markers’), o ano de  2019 está a ser melhor época da empresa, por ser o período que a instituição tem registado não apenas mais fluxo na página, mas também mais arrecadações. Os 10 meses deste ano representam um aumento de 60% em relação ao mesmo período do ano transacto.

Além do ‘Deya’, a ‘Bantu Markers’ tem cerca de 100 projectos em análise e, segundo Vanda de Oliveira, está à procura de talentos para dirigir determinados projectos que possam vir a ser aprovados.