Projectos tecnológicos em Angola não chegam a ser negócio por falta de apoio

588

Vários projectos tecnológicos inovadores não chegam a avançar por falta de apoio empresarial e institucional por parte do do Estado Angolano, segundo o director-geral do Instituto de Telecomunicações (ITEL), Cláudio Gonçalves.

De acordo com o académico, que falava em entrevista ao Jornal Expansão, a falta de apoios é um velho problema em Angola, por existir ainda uma colaboração muito tímida entre as academias e os empresários. Mas acredita que, com o surgimento do Digital.ao, uma incubadora tecnológica nacional, será o início de uma nova era para os projectos.

Todo e qualquer país consegue desenvolver-se se juntar sector empresarial, académico e governamental. Os três precisam estar unidos, porque o governo vai trazer a regulamentação necessária, os benefícios e as facilidades para o sector empresarial apostar em iniciativas académicas. Então, quando os três caminharem juntos, os projectos terão outra dinâmica“, disse o Director-Geral.

MAIS: LISPA BOOST está a procura de startups inovadoras. Candidaturas abertas até 09 de Setembro

Cláudio Gonçalves frisou ainda que os que os estudantes jovens angolanos têm conhecimentos de empreendedorismo, mas precisam também amadurecer os projectos para que sejam comercialmente viáveis, embora seja a falta de apoio empresarial o grande problema.

Por isso, nas palavras do professor de engenharia informática do ISUTIC, Silva Vunda, o financiamento é dos aspectos mais delicados na transformação de um projecto em negócio,  onde os alunos devem ser ensinados a compilar a informação do mercado, estudar a viabilidade e possuir um bom plano de negócios, porque senão os projectos vão continuar sem pernas para andar.

É verdade que não é fácil, mas também os empresários precisam começar a olhar para estes projectos e acreditarem mais no que é feito e no que pode dar futuramente, porque se não existir essa ousadia, obviamente, que não haverá novos caminhos“, reiterou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui