Cibertaques em 2022 já roubaram 1,9 mil milhões de dólares em criptomoedas

988

Uma análise da empresa especializada em ‘blockchain’ Chainalysis indica que, desde o início de 2022, já foram roubados o equivalente a 1,9 mil milhões de dólares em criptomoedas por via de ataques informáticos.

Diz a CNN que este ‘pico’ se deve aos protocolos de finança descentralizada (DeFi), os quais permitem aos detentores de criptomoedas realizarem transações entre si de uma forma mais direta – sem qualquer entidade financeira a agir como intermediária. O relatório aponta que grande parte destes ciberataques foram realizados por ‘hackers’ associados à Coreia do Norte.

MAIS: Índia pode vir a banir o uso de criptomoedas

Apesar de serem altamente populares entre os detentores de criptomoedas, os procolos DeFi baseados na tecnologia de ‘blockchain’ Ethereum são considerados excecionalmente vulneráveis a ‘hackers’ devido ao facto de o respetivo código ser ‘open source’.

De forma geral, a tecnologia é relativamente imatura. Este espaço só emergiu nos últimos anos. Estão a ser cometidos erros, erros com os quais estamos a aprender, mas há sempre ‘bugs’ no software. Penso que o problema aqui é que o software é a única coisa a manter estes ativos seguros, afirmou um dos responsáveis pela empresa de análise de ‘blockchain’ Elliptic, Tom Robinson.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui