Governo Angolano vai apostar na governação electrónica

674

O Executivo Angolano vai continuar a apostar na governação electrónica, com o objectivo de promover o uso racional e sustentável das TIC por parte da população e das instituições, onde por isso já foram criadas páginas electrónicas para vários órgãos da Administração Pública, desde departamentos ministeriais, governos provinciais, administrações municipais e comunais, consulados, num total de 165 sites.

Essa informação foi revelada pelo Director Nacional das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Matias Borges, falando no Fórum Tech Hub 2022, informando que para o tratamento de matérias da Administração Pública, já foram criadas 12.447 contas de correios electrónicos institucionais.

Ainda nesse âmbito da massificação da sociedade da informação, Matias Borges destacou o funcionamento actual de dez mediatecas fixas nas províncias de Benguela, Luanda (“Zé Dú” e “Mediateca de Luanda”), Huambo, Huíla, Lunda-Sul, Zaire, Cunene, Bié e Malanje e seis mediatecas de proximidade “Mediatecas Móveis” em Cabinda, Luanda, Malanje, Bié, Moxico e Uíge.

A plataforma Digital.ao também mereceu abordagem no discurso do governante, frisando que a mesma tem como foco a disponibilização de infra-estruturas de TIC e suporte para novas soluções de negócios empresariais para startups, disponibilização de páginas individuais, serviços de correio e garantir a qualidade operacional necessária para a disponibilização dos serviços alojados com qualidade.

MAIS: Adão de Almeida: Modernização e Transição Digital da Administração Pública exige aprovação urgente

Outro factor reportado pelo Director Nacional no evento sobre as tecnologias digitais em África, foi a disponibilização de informações mais fiáveis relacionadas à temperatura, previsão do clima e do tempo, no âmbito do projecto de modernização do INAMET, das 65 estações meteorológicas que deverão entrar em funcionamento no segundo semestre deste ano, bem como já estão concluídas e instaladas estações nos aeroportos 4 de Fevereiro, Catumbela, Cunene, Luena, Huíla, Cabinda, nas bacias dos rios Kwanza, Cuvelai e decorrem trabalhos para a conclusão do Centro Geofísico em Luanda, local onde serão processados, analisados e armazenados todos os dados transmitidos pelas estações do território nacional.

No quesito do mercado das comunicações electrónicas, mais propriamente na regulação, Matias Borges destacou a construção do Centro de Monitorização de Gestão do Espectro Radioeléctrico do Instituto Angolano de Comunicações (INACOM), para monitorização do espectro e as interferências que possam surgir na aviação civil, no serviço marítimo e na utilização de frequências de radiodifusão na província de Cabinda.

O director considerou também ser importante destacar a operacionalização da operadora AFRICELL, com o 4º TGU – Título Global Unificado, visando gerar um desenvolvimento no mercado angolano a nível das infra-estruturas, serviços e preços.

Destacou, igualmente, a concretização da ligação por fibra óptica entre a província do Zaire e de Cabinda, atravessando a República Democrática do Congo, pelas cidades de Matadi e Boma, pela Angola Telecom, bem como o novo cabo de fibra óptica da operadora Internet Technologies Angola (ITA), com capacidade de 200 Gbps, que interliga Noqui e Zaire, estando ainda em construção um novo cabo de fibra óptica da operadora UNITEL, que vai permitir o aumento da capacidade em Cabinda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui