A Apple junta-se à empresas que atrasam seu regresso ao trabalho presencial

2443

A COVID-19 de certeza que trouxe-nos uma nova forma de trabalhar, deixando assim as empresas que trabalham no sector tecnológico ou por intermédio da tecnologia mais confortáveis, pois muitos dos trabalhos podem ser efectuados remotamente. Tendo muitas empresas adoptado o trabalho remoto na fase da pandemia, muitas empresas até ao momento tem atrasado o regresso ao escritório, embora que, muitas já começaram a regressar gradualmente.

Dentre essas empresas, a Apple agora, pela quarta vez, teve que ajustar seus planos de retorno ao escritório. Os trabalhadores deveriam começar um cronograma híbrido em fevereiro, embora a rápida disseminação da variante Omicron tenha afetado esses planos controversos.

MAIS: Relançar a economia pós-covid através das novas tecnologias

Durante o curso da pandemia, a Apple tentou várias vezes estabelecer orientações para quando o trabalho pessoal seria reiniciado. A meta inicial de setembro de 2021 foi mal recebida por alguns funcionários que formaram um canal Slack de “defensores do trabalho remoto” e distribuíram uma carta crítica à proposta de política. A variante Delta exigiu mais atrasos, que foram planejados para janeiro e fevereiro de 2022.

Além da Apple, juntam-se a Lyft, Uber e Alphabet, pai do Google, também adiaram o retorno de seus escritórios, com os dois últimos, como a Apple, não estabelecendo uma nova data-alvo. É quase certo que outras empresas com a opção de trabalho remoto farão o mesmo nos próximos dias e semanas. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui