A liberdade na Internet continua a diminuir em todo o mundo

475

Actualmente o autoritarismo digital está em ascensão, de acordo com um novo relatório de um grupo que monitora a liberdade na Internet denominado Freedom House. Pode-se notar ainda que, hoje em dia os governos estão a procurar ter mais  controle sobre os dados dos usuários durante o uso, também se destina a abordar leis nominalmente.

Segundo Mike Abramowitz (Presidente da Freedom House), a abordagem deste tema é o crescente reconhecimento de que a Internet, é visto como uma tecnologia libertadora, e tem sido cada vez mais usada para interromper democracias em oposição para desestabilizar ditaduras. 

Como exemplo de restrição da liberdade na Internet, nos Estados Unidos, a liberdade na Internet diminuiu em 2018 devido à revogação das regras de neutralidade da rede pela Federal Communications Commission. Outros países se saíram muito pior, menos 17 dos 65 pesquisados ​​adoptaram leis que restringem a mídia online. Destes, 13 cidadãos processados ​​por supostamente terem disseminado informações falsas. E mais países estão a aceitar o treinamento e tecnologia da China, que a Freedom House descreve como um esforço para exportar para um sistema de censura e vigilância em todo o mundo.O relatório da Freedom House salienta ainda que, governos de 18 países aumentaram a vigilância do estado entre Junho de 2017 até ao momento, com  destes 15 considerando as novas leis de “Protecção de Dados”, que podem exigir que as empresas armazenem os dados dos usuários.

E Angola? 

Bem, no nosso caso posso considerar que a liberdade na Internet tem funcionado entre “”, mas que as coisas poderão mudar em breve, já que está a ser preparado uma legislação Angolana que regularize o uso das redes sociais, a ainda a entrada de funcionamento da Agência Nacional de Protecção de Dados.