Aumento do acesso à internet em África pode gerar 44 milhões de novos empregos

0
781

O aumento do acesso à internet a 75% da população africana, nos próximos tempos, poderá criar mais de 44 milhões de empregos, revela a revista Economia & Mercado(E&M), na sua edição de Janeiro.

Segundo a revista angolana, um aumento de até 10% na penetração da internet móvel em África poderia significar, olhando para os números, um volume económico de mais de 180 mil milhões de dólares norte-americanos até ao ano de 2025, bem como 700 mil milhões USD até 2050.

Olhando ainda para o nosso país, os últimos relatórios mostram que o desemprego da sociedade civil adulta é de 35%, onde a aceleração digital é sempre apontada como o melhor caminho para promover os novos negócios e impulsionar a economia nacional, que tem sofrido fortes abanos devido à forte dependência do petróleo.

Para os especialistas angolanos, a economia digital não só pode gerar novos empregos, mas também a consolidação do e-commerce, dos serviços digitais, bem como melhorar os serviços e aumentar a transparência, contribuíndo um crescimento económico nacional.

MAIS: Aumenta a lacuna de acessibilidade de Internet em África

De referir que a economia digital foi um dos assuntos mais falados na IV Conferência sobre Transformação Digital, subordinada ao tema Os Desafios da Aceleração Digital em Angola”com a presença da redacção da MenosFios, onde o gestor do programa AceleraNet da AngolaCables, Crisóstomo Mbundu, diz que “o mundo hoje é cada vez mais digital e hiperconectado, sendo que a Covid-19 acelerou a economia digital e não haverá mais recuo”.

Olhando para as palavras acima do especialista, vê-se uma clara necessidade do Governo Angolano investir em infra-estruturas de telecomunicações, para que só assim, possa se abrir mais espaço para que o digital contribua mais para a economia real.

Ainda falando sobre a Conferência sobre Transformação Digital, organizado pela revista E&M, contou com um grande e extensivo leque de prelectores, que juntos voltaram a concordar que os custos de investimentos no sector das telecomunicações infelezmente é caro, pelo que, os preços praticados pelas operadoras presentes em território nacional são alto, e embora dessa contrapartida, o “caminho é o investimento, seja público ou privado”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here